FICHA TÉCNICA

A BALADA DO BLACK TOMA BALADA DO BLACK TOM
Autor: Victor Lavalle
Ano de Lançamento: 2018
Nº de páginas: 160
Editora: Morro Branco
Compre na Amazon: clique aqui


SINOPSE

Um tributo e uma crítica a Lovecraft” – NPR As pessoas se mudam para Nova York em busca de magia e nada vai convencê-las que ela não está lá. Charles Thomas Tester luta para colocar comida na mesa e manter um teto sobre a cabeça de seu pai, aceitando fazer trambiques e trabalhos obscuros do Harlem a Red Hook. Ele sabe bem o tipo de magia que um terno pode proporcionar, a invisibilidade que um estojo de guitarra lhe oferece e a maldição escrita em sua pele, atraindo os olhares atentos de ricas pessoas brancas e seus policiais. Mas quando faz a entrega de um livro oculto a uma feiticeira reclusa no coração do Queens, Tom abre uma porta para um domínio mais profundo de magia – despertando a atenção de seres que deveriam permanecer adormecidos. Uma tempestade que pode engolir o mundo está se formando no Brooklyn. Será que Black Tom irá viver para vê-la se dissipar?

RESENHA – A BALADA DO BLACK TOM

Um sussurro em seu ouvido e um leve enjoo em seu estômago. Uma breve melodia emitida por um velho violão tocando Blues, e suas lágrimas começam a descer. Uma balada preenche o ambiente e horrores saltam a sua mente. Quando você estiver de joelhos e nada mais possa fazer, uma navalha afiada descerá sobre seu crânio. Essa é a balada de Charles Tester, mais conhecido como Black Tom!

A BALADA DO BLACK TOM

“Mentes insensíveis sempre refutam o conhecimento verdadeiro.”

Charles Thomas Tester vive no Harlem na “Era do Jazz” de Nova Iorque. Muita pobreza, tensão social, música e magia. Todos buscam um lugar ao sol nestas ruas escuras onde a noite a vida acontece. Filho de um pedreiro apaixonado por Jazz e Blues viu no pai a inspiração de continuar batalhando, mas não herdou seu talento. Não leva a vida no braço nem com acordes, mas sim com malandragem, golpes e furtos. O terno surrado e a caixa da viola sempre vazia é apenas para fazer um gênero. A vida de um negro na América dos anos 20 não é uma coisa fácil. Muita violência e repressão que são extravasadas através da música. Sons de lamento e fúria. Mas se apenas fossem esses os problemas de Charles, ele estaria bem. Porem, quando foi atender um pedido de uma velha senhora para roubar um estranho livro contando o “Alfabeto Supremo”, ele não imaginaria que estaria libertando o terror sobre a terra.

A BALADA DO BLACK TOM

“É assim que se afana um objeto arcano. Contorne as regras, mas não as viole.”

Charles Thomas Tester continua tentando uns acordes em meio ao caos da vida. Sua falta de talento não foi impedimento para ser contratado por um figurão para tocar em uma festa recheada com os maiores gângsters da cidade. Em uma noite de crime e caos ele vai tocar… tocar para invocar um ser gigantesco e adormecido. Nesta noite ele entregará sua alma, seu violão e sua navalha para um terror cósmico esquecido pelo tempo. Nesta noite Charles deixará de existir para nascer Black Tom, o terror do Harlem!

A BALADA DO BLACK TOM

“Dê às pessoas o que elas esperam e pode conseguir delas tudo o que precisa.”


SENTENÇA

Essa premiadíssima obra é uma homenagem a Lovecraft, assim como uma sutil crítica a sua visão racista do mundo. Uma obra pequena mas impactante. Victor Lavalle (autor) não se contenta apenas em prestar um tributo, mas nos presenteia com um excelente livro de terror e suspense. A atmosfera da trama chega a ser sufocante e eu não sentia o tempo passar conforme devorava suas páginas. Apesar de uma trama curta, consegue construir de forma satisfatória todos os personagens envolvidos, principalmente Charles e suas motivações. Não tenho nada contra obras gigantescas, tão comuns no gênero da Fantasia, mas me encanta profundamente quem consegue ser breve nas dimensões e profundo nas emoções. Você precisa conhecer Black Tom e sua balada. Você precisa ler está obra!

Comentários