FICHA TÉCNICA

A HORA DO LOBISOMEMA HORA DO LOBISOMEM
Autor: Stephen King
Ano de Lançamento: 2017
Nº de páginas: 152
Editora: Suma de Letras
Compre na Amazon: clique aqui


SINOPSE

“O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto. Agora, a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’s Mill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo? Quando a lua cresce no céu, um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada. Um clássico de Stephen King, com as ilustrações originais de Bernie Wrightson”


RESENHA – A HORA DO LOBISOMEM

Doze meses. Doze meses de agonia. Em um curto período de tempo os moradores da pequena cidade Tarker`s Mill vivenciaram a expectativa da morte iminente. Uma criatura andou deixando um rastro de vítimas esquartejadas, decapitadas e dilaceradas toda noite de lua cheia. De onde veio essa criatura e como para-la? Quando todos se refugiam atrás das suas portas não há muito o que se fazer a não ser esperar pela inevitável hora do lobisomem, e ela sempre chega! 

A HORA DO LOBISOMEM

“Meu amor – sussurra ela, e fecha os olhos.
O lobo cai sobre ela.
O amor é como morrer.”

Janeiro, um sinaleiro preso em uma tempestade é a primeira vítima. Fevereiro, uma mulher rejeitada encontra seu amor nos braços da morte. Março, um técnico chamado no branco da tempestade de neve acaba encontrando o vermelho do sangue nas presas de um lobo gigante. Abril, um jovem soltando pipa acaba brincando sem cabeça. Maio, o zelador da igreja é estripado aos pés de Cristo. Junho, o dono do único café da cidade acaba servindo seu último cliente com sangue quente… o seu próprio! E assim a contagem de corpos continua.

A HORA DO LOBISOMEM“Ele consegue sentir cheiro de sangue e canela, e é encontrado no dia seguinte encostado no Memorial da Guerra, sem cabeça e eviscerado.”

Em uma cidade vivendo o com os nervos à flor da pele um jovem deficiente físico tem apenas um sonho: que o medo contagiante não estrague sua festa de fogos do próximo “Quatro de Julho”! Mas a cidade já cancelou a celebração, assim, resta ao jovem realizar uma festa privada sua com os fogos que seu tio lhe deu secretamente. Na madrugada, sozinho no frio, vendo seus explosivos reluzirem no céu ele acaba se deparando com a criatura que assola a cidade. Não só escapa com vida como consegue ferir a besta. Um fato que ficou marcado na cidade como fonte de inspiração. Agora os cidadãos estão se armando embutidos de coragem para refrear o mal, mas será isso possível ou apenas este jovem preso a cadeira de rodas estaria destinado a tal feito?

A HORA DO LOBISOMEM

“O último som que escuta na vida é o rosnado crescente de triunfo do lobisomem; a cabeça dele rola para baixo do Peterbilt, os olhos arregalados, o pescoço jorrando sangue.”


SENTENÇA

Essa obra clássica do mestre Stephen King é uma “aula” de narrativa e mostra que é possível escrever uma boa história divertida em poucas páginas e de forma convincente. Capítulos curtos de duas a três páginas de tirar o fôlego repletos de suspense e mortes abrilhantados ainda mais com as artes do aclamado Bernie Wringhtson nesta caprichada edição! O livro só tem um problema, é tão curto que chega a deixar um gosto de “quero mais”! Mas convenhamos, quem curte Stephen King nunca fica sem um bom livro em mãos para devorar… oops(rs), para ler.   

Comentários