FICHA TÉCNICA

A Parábola do SemeadorA PARÁBOLA DO SEMEADOR
Autor: Octavia E. Butler
Ano de Lançamento: 2018
Nº de páginas: 416
Editora: Morro Branco
Compre na Amazon: clique aqui


SINOPSE

Quando uma crise ambiental e econômica leva ao caos social, nem mesmo as cidades muradas estão seguras. Em uma noite de fogo e morte, Lauren Olamina, a jovem filha de um pastor, perde sua família, seu lar e se aventura pelas terras americanas desprotegidas. Mas o que começa como uma fuga pela sobrevivência acaba levando a algo muito maior: uma visão estonteante do destino humano. E ao nascimento de uma nova fé.

RESENHA – A PARÁBOLA DO SEMEADOR

Violento. Cru. Desesperador. Uma agressiva distopia escrita pelas mãos da aclamada Octavia E. Butler. Com seu livro “Kindred” nós conhecemos todo seu talento e paixão, agora, com essa obra indigesta conheceremos toda sua fúria!

A Parábola do Semeador

“Pessoas e cães caçam coelhos, gambás, esquilos e uns aos outros. Ambos se alimentam do que morre.”

A América não é mais a mesma. O acúmulo de crises ambientais e econômicas minaram a vida e o espírito dos americanos. Apesar da frágil existência de Governos federais e estaduais com suas forças corruptas o homem nunca se viu tão por conta própria. Cidadãos se reunindo em comunidades e bairros “murados” para se protegerem de invasores, baderneiros e estupradores. Uma nação refém do medo e sem esperança. Rumores de guerras e a chegada de uma nova droga “Piro” que desencadeia sensações prazerosas em incendiários só agrava ainda mais esse quadro. O dinheiro ainda circula, mas cada vez mais escasso, assim como água e comida. Dentro desse país que se consome vorazmente conhecemos Lauren. Uma jovem filha de um Pastor Batista e uma mãe professora. Ela é especial, “hipersensitiva”, ela sente os prazeres e as dores do próximo, uma benção e maldição que irão transformar a vida do que restou desta nação.

A Parábola do Semeador

“As pessoas jogam coisas para nós as vezes – presentes de inveja ou de ódio: um animal morto cheio de vermes, um saco de merda, até um membro decepado de uma pessoa ou uma criança morta.”

Crescendo ouvindo os ensinamentos de Cristo, Lauren sempre foi uma questionadora. A imersão em livros de história, ciência e romances sempre fizeram ela ter dificuldade em lidar com a existência do Mal e um Deus benevolente, princialmente frente à uma América imersa no caos. De seus pensamentos e hipersensibilidade surgiram as primeiras ideias e versículos do que seria uma nova religião: Semente da Terra. Mas não há ideia que se propague se não é semeada. Ela precisa ganhar o mundo, se livrar dos muros que a protege e espalhar sua palavra… e ela irá! Em uma noite onde a morte e o terror chegam para todos em seu bairro ela começa sua peregrinação pelo que restou da América, se unindo a vítimas do que de pior o homem tem a oferecer, dando os primeiros passos para a consolidação do futuro. Todo fim tem seu recomeço e as primeiras páginas do “Os Livros dos Vivos” será escrita com sangue.

A Parábola do Semeador

“Tudo que você toca você muda. Tudo o que você muda muda você. A única verdade perene é a mudança.”


SENTENÇA

Essa obra de Octavia E. Butler é escrita em forma de diário/memórias do que seria a jornada de uma jovem especial tentando consolidar seus ideais e fé preenchendo uma lacuna deixada no coração de muitos. Escrito de forma extremamente pesada a autora não faz concessões a nada nem a ninguém. Há muita fúria e mágoa despejada nestas páginas. Octavia despe o “homem” revelando o que pior tem em sua alma. Um livro reflexivo, que pode soar repetitivo para alguns leitores, mas que ao final da leitura não te deixará indiferente frente a feroz crítica social feita. É preciso estômago e sangue frio para saber como essa história terminará no segundo volume desta duologia. Não foi escrita para os fracos de coração, se esse for o seu caso, passe longe dessa obra, mas se quiser um livro para lhe tirar da sua “zona de conforto” essa tem que ser sua próxima leitura!

Comentários