FICHA TÉCNICA

As Crônicas De MarteAS CRÔNICAS DE MARTE
Autor:  R. R. Martin George, Dozois Gardner,
Ano de Lançamento: 2018
Nº de páginas: 496
Editora: Arqueiro
Compre na Amazon: Clique aqui


SINOPSE

Uma princesa de Marte e As crônicas marcianas , dos mestres Edgar Rice Burroughs e Ray Bradbury, foram clássicos que influenciaram a imaginação de milhões de leitores e mostraram que aventuras espaciais não precisavam se passar numa galáxia distante, a anos-luz da Terra para serem emocionantes. Elas podiam ser travadas logo ali, no planeta vizinho.

Antes mesmo do programa Mariner e da corrida espacial, a imaginação já povoava nosso sistema solar com seres estranhos e civilizações ancestrais, nem sempre dispostos a fazer contato amigável com a Terra. E, de todos os planetas que orbitavam o nosso Sol, nenhum tinha uma aura de maior romantismo, mistério e aventura do que Marte.

Com contos escolhidos e editados por George R. R. Martin e Gardner Dozois, As crônicas de Marteretoma esse sentimento ao celebrar a Era de Ouro da ficção científica, um período recheado de histórias sobre colonizações interplanetárias e conflitos antigos.

Para essa missão, autores consagrados como Michael Moorcock, Mike Resnick, Joe R. Lansdale, S. M. Stirling, Mary Rosenblum, Ian McDonald, Liz Williams e James S. A. Corey foram convidados a revisitar o misterioso planeta vermelho, aqui representado como um destino exótico e desértico, com cidades em ruínas, civilizações impressionantes… e, é lógico, perigos inimagináveis.

Enfim, o bom e velho Marte está de volta.


RESENHA – AS CRÔNICAS DE MARTE

Marte. Aquele misterioso planeta vermelho. Gelado, desértico, cheio de vulcões e desfiladeiros. Qual a sua história afinal? Quem habitou ou habita sua vastidão? É tempo de explorar caminhos e segredos através da ótica de 15 escritores visionários que ousaram descrever o inimaginável… até então.

As Crônicas De Marte

“Em Marte todas as coisas que podem dar errado dão, e as que não podem também.”

É sempre difícil e desafiador resenhar um livro de contos, ainda mais quando são quinze histórias. Ou acabamos deixando alguma de fora, ou corremos o risco de sermos breves e superficiais demais. Porem, seguindo a metodologia do “Acervo do Leitor”, darei uma visão geral do que trata cada narrativa e no final darei minha impressão sobre sua coletânea. (Conto 1) “Sangue Marciano” conta a jornada de um pesquisador em busca do “elo perdido” genético entre os humanos e marcianos, mas a descoberta de uma mesma origem para ambas as espécies pode mudar a dinâmica entre essas duas raças e como a dominação de uma sobre a outra é aceita. (Conto 2) “O Patinho Feio” é sobre explorador(es) de terras marcianas buscando ossos fertilizantes e metais nos escombros de uma sociedade perdida no tempo que acaba encontrando objetos e alucinações que o levarão para o passado e a loucura.(Conto 3) “O acidente do Mars Adventure” narra a navegação de um dirigível da realeza britânica rumo a Marte em busca de uma nova rota comercial interplanetária. (Conto 4) ” Espadas de Zar-tu-Kan” uma louca aventura em Marte explorando o confronto entre terráqueos, marcianos e algumas criaturas inusitadas. (Conto 5) “Bancos de Areia” conta a história de uma jovem colona que recebe ajuda de marcianos até então invisíveis para refrear mineradores que visam expandir a exploração de pérolas afrodisíacas ao custo da destruição de assentamentos humanos. (Conto 6) “Nas Tumbas dos Reis Marcianos” a dupla inusitada formada por Escorpião e sua criatura Merlim são contratados como seguranças para explorar uma tumba de um Rei Marciano enterrado em uma cratera visando achar um livro sagrado perdido.

As Crônicas De Marte

“Humanos não querem saber nada sobre nós. Tudo que querem é pegar o que não pertence a eles e arruinar.” 

(Conto 7) “Saindo de Scarlight” uma fantasia envolvendo uma caçadora atrás de uma mulher que é um oráculo, atravessando tribos marcianas matriarcais. (Conto 8) “Os manuscritos do fundo do Mar Morto” uma louca aventura arqueológica em busca do passado enterrado de Marte. (Conto 9) “Um homem sem honra” um pirata descobre um navio repleto de ouro enquanto fugia do Governador local e acaba encontrando uma misteriosa marciana que o leva para uma Marte enterrada no submundo. (Conto 10) “Escrito no pó” é um drama familiar envolvendo realidades diferentes entre Marte e Terra e a perpetuidade da memória, literalmente, daqueles que se foram. (Conto 11) “O Canal perdido” revela uma Marte que explora a mão de obra barata terráquea com baixa educação, onde um ladrão é contratado para encontrar uma bomba milenar perdida nas profundezas do planeta. (Conto 12) “A pedra do sol” um recém formado doutor em arqueologia retorna a Marte depois de sua formação de estudos na Terra para visitar a família e acaba se deparando com a morte do pai em um sítio de escavação que irá mudar sua vida. (Conto 13) “Rainha do romance barato” acompanha a aventureira Angela King em busca de uma vacina para uma febre mortal em Marte se deparando com criaturas antigas, tubarões de gelo e uma louca pirâmide. (Conto 14) “Marinheiro” narra a história de um visionário terráqueo apaixonado por viagens marítimas que acaba sendo transportado para Marte onde aprende a velejar nas areias vermelhas deste planeta. (Conto 15) “A ária da rainha da noite” é sobre a empreitada perigosa de alguns artistas tocando nas linhas de frente de uma guerra.
As Crônicas De Marte


SENTENÇA

 Não acho que deva ser fácil escrever um conto. Costumam ser fragmentos de uma história ou “retratos” de um momento que devem entregar certa emoção e entretenimento em poucas páginas. Alguns autores conseguem tal façanha, mas não foi o caso nesta obra. As histórias em sua maioria tendem a mostrar uma Marte atrasada, defasada ou quase aborígene frente aos humanos e muitas vezes o planeta vermelho serve apenas como pano de fundo para certos dramas pessoais. Mas, independente do foco do cronista, nenhuma história satisfaz. Todas, até as mais curtas, soam enfadonhas e me vi tentado a abandonar o livro na metade. Confesso que se não fosse pelo trabalho aqui no Blog não teria ido até o final. Não me impressiono pela fama dos escritores das histórias e muito menos pelo editor das mesmas, neste caso o aclamado George R.R. Martin (A Guerra dos Tronos). O que vemos aqui é um compilado de aventuras e desventuras criadas por aqueles que claramente não estavam no auge de suas inspirações. Com tanta coisa boa em ficção científica para se publicar no Brasil eu me pergunto: Porque publicar isso?? Ahh, deve ser pelo “George R.R. Martin” na capa… dizem que o nome dele vende, será? Bom, ele pode até ser garantia de receita, mas com certeza não é de qualidade.

Comentários