FICHA TÉCNICA

O FEITICEIRO DE TERRAMAR (Ciclo Terramar #1)
Autora: Ursula K. Le Guin
Ano de Lançamento: 2016
Nº de páginas: 175
Editora Arqueiro
Compre AQUI: http://amzn.to/2phiAt6


SINOPSE

Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.

Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários.

Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.


RESENHA

Algumas obras são atemporais, alguns livros estão além de seu tempo. Visionários, clássicos e fortes influenciadores de uma geração vindoura. Nomes como Tolkien, Lewis, estão gravados para sempre na história da Literatura Fantástica e na memória dos fãs. Ursula K. Le Guin certamente está entre eles, infelizmente a autora, de escrita impecável e histórias recheadas de críticas sociais, não obteve até então o sucesso merecido em nosso país. O Ciclo Terramar, sua grande série de fantasia, é um clássico, absolutamente um clássico que inspirou e influenciou várias obras e autores do gênero, nomes como J. K. Rowling, Neil Gaiman, entre outros já expressaram publicamente seu apreço pela saga de Le Guin.

(…) Todo poder é um só em sua fonte e seu fim, acho. Anos e distâncias, estrelas e velas, água, vento e fetiçaria, a arte nas mãos de um homem e a sabedoria na raiz de uma árvore: todos surgem juntos. Meu nome, o seu e o verdadeiro nome do sol, de uma fonte de água ou de uma criança que ainda não nasceu, tudo isso são sílabas da grande palavra que lentamente está sendo pronunciada pelo brilho das estrelas. Não existe outro poder nem outro nome (…) 

O Feiticeiro de Terramar conta a infância de Ged, um garoto pobre que vive em Dez Amieiros, aldeia situada na ilha de Gontz, famosa por seus magos e feiticeiros. O jovem descobre sua vocação após um determinado evento ocorrer em sua aldeia, e daí em diante parte numa jornada de muitas aventuras e perigos para descobrir até onde vão seus poderes e quais as consequências de seus atos. Ged é um personagem difícil de você gostar num primeiro momento, sua personalidade egocêntrica e com pouca humildade nos faz torcer o nariz em algumas situações. A todo instante o garoto quer provar algo a alguém, quer se manter em evidência, trilhando suas ações por caminhos pouco inteligentes. E justamente em um destes momentos é que entra o plot principal do livro, sua busca por redenção, as reflexões de seus atos e suas sequelas.

O Feiticeiro de Terramar(…) O mundo mantém seu equilíbrio. O poder da transformação e de invocação de um feiticeiro pode abalar esse equilíbrio. É perigoso, esse poder. Nocivo em grande parte. E deve vir acompanhado do conhecimento e servir à necessidade. Acender uma vela é lançar uma sombra(…)

Ursula K. Le Guin conseguiu em poucas páginas criar um mundo gigantesco. Logo no início do livro nos deparamos com um mapa de toda a Terramar, e é absurdamente completo. São várias regiões, dezenas de ilhas e províncias, uma aula de mapeamento. Ao longo do livro vamos acompanhar Ged passando por várias destas localizações, e fazendo menções a tantas outras. Outras estas, que estarão nos demais volumes da série. Le Guin abusa da criatividade ao criar um plano de fundo sobre a história de Terramar, nota-se o cuidado aos detalhes que a autora teve. Sua escrita é um dos pontos fortes do livro. Instigante e reveladora. Mesmo nas primeiras páginas você já percebe que estamos diante de alguém que merece ter todo o reconhecimento possível por suas obras.

(…) Ged, ouça-me com atenção agora. Nunca lhe ocorreu que o perigo ronda o poder como a sombra persegue a luz? A feitiçaria não é um jogo que jogamos por diversão ou para receber elogios. Pense nisto: toda palavra, todo ato de nossa arte, é falada e é feita para o bem ou para o mal. Antes de você falar ou fazer, tem que saber o preço a se pagar! (…)

Recai sobre o livro o peso de seu tempo, o momento de sua publicação e as implicações disto aos novos leitores do gênero. Você reconhece muito dos padrões aqui presentes em outros livros, e é como um déjà vu. Várias obras são certamente a evolução deste, em muitos aspectos melhores, em outros, ainda falhos. E é aqui que cabe ao leitor a inteligência de saber situar o tempo a que esta obra foi escrita. Lá pelos anos 60, havia poucos livros de fantasia, com exceção de O Senhor Dos Anéis, nenhuma outra abarcava tanto sucesso ao gênero, e como a própria autora diz no posfácio, ela quis inovar, quis criar algo único e, mais do que isso, inserir suas críticas sociais de maneira subversiva, genial.


SENTENÇA

O Feiticeiro de Terramar não é o melhor livro de fantasia que você irá ler, mas talvez seja um dos mais importantes. Não somente por sua história, mas por toda a experiência e criatividade que ela nos traz. Ursula K. Le Guin é uma das figuras mais icônicas da Literatura Fantástica – e aqui incluo Ficção Científica -, e se você ainda não a conhece, corra atrás de seus livros e escute o que ela tem a dizer. O Feiticeiro de Terramar é um clássico, e merece ser tratado como tal. Que venha o segundo volume, que venha As Tumbas de Atuan.

Comentários