FICHA TÉCNICA

O JOGO DO ANJO
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Ano de Lançamento: 2017
Nº de páginas: 520
Editora: Suma de Letras
Compre na Amazon:


SINOPSE

Barcelona, anos 1920. David Martín tem vinte e oito anos, uma casa em ruínas e um talento para a literatura que nunca o protegeu de desgraças ou lhe trouxe qualquer glória. Com uma doença terminal e vendo o amor da sua vida nos braços do melhor amigo, David passa os dias em sua mansão lúgubre, escrevendo séries policiais e vendendo barato o seu talento.
É quando surge Andreas Corelli, um misterioso editor estrangeiro com uma proposta irrecusável. Fama, dinheiro, saúde: tudo em troca de um único livro. Um livro que terá o poder de influenciar milhões de vidas. Um novo evangelho.
Mas, conforme a obra se desenvolve, David percebe que existe uma conexão sinistra entre o livro que está escrevendo e as sombras que envolvem sua casa dilapidada — e que seu editor também esconde alguns segredos perturbadores. Mais uma vez, Zafón nos leva por uma Barcelona sombria e gótica, em uma trama cheia de intrigas, romance e tragédia.


RESENHA – O JOGO DO ANJO

Se hoje você partir, o que terá deixado para trás? Amigos, abraços, amores, viagens e sorrisos? Ou talvez corações partidos, decepções, choros e frustrações. Se você colocar sua vida em um livro, como ele será? Essa enigmática e sombria obra é sobre a vida David Martin. Sobre um homem que ousou conter seu coração mas transbordar seus pensamentos em milhares de páginas, deixando um pouco de si a cada linha… até não ter sobrado mais nada. Sobre alguém que gastou e se desgastou em prol de uma paixão não consumada. Sobre anjos, demônios, escrita e porque não, sobre você também.

“A inveja é a religião dos medíocres. Ela os reconforta, responde às angústias que os devoram por dentro. Em última análise, apodrece suas almas, permitindo que justifiquem a própria mesquinhez e cobiça, até o ponto de pensarem que são virtudes e que as portas do céu se abrirão para os infelizes como eles, que passam pela vida sem deixar outro rastro senão suas trapaceiras tentativas de depreciar os demais, de excluir e, se possível, destruir quem, pelo mero fato de existir e de ser quem são, põe em evidência sua pobreza de espírito, de mente e de valores. Bem-aventurado aquele para quem os cretinos ladram, pois sua alma nunca lhes pertencerá.”

Não é fácil se expressar quando sua formação é carente. O pai de David Martin era um bronco que resolvia e pagava suas contas na bala. Criando o pequeno Martin de forma opressiva, via nas “letras” uma grande perda de tempo e pura subversão. Porem, o que a natureza não fornece a vida compensa. David encontrou no Sr.Sempere a figura paterna que lhe faltava. Este dócil livreiro fornecia todos os livros e afeto que tanto carecia em sua infância. Dizem que quem com ferro fere, também com o mesmo será ferido, assim, através de um cano fumegante David Martin se tornou órfão. Passando o resto de sua infância escorado em uma redação de jornal aos cuidados de um benevolente benfeitor, ele cruzou sua adolescência livre em meio à tintas e linhas. Sempre inspirado e transpirando, ele logo cedo abocanha uma oportunidade de escrever histórias policiais neste jornal. Assim, amparado pela amizade do Sr.Sempere, livros fantásticos e pelo seu tutor, começa a jornada de um jovem e proeminente escritor rumo a sua maturidade e realização.

“Tudo apodrece, a começar pela beleza e terminar pela memória.

A fase adulta chega com seus prazeres e problemas em doses proporcionais. A vida de Martin começa a valer o quanto pesa sua caneta. Prematuramente assinando um contrato que aos poucos vai consumindo todo o seu talento e vigor, David vai envelhecendo frustrado e resignado. Seu coração e sua máquina de escrever não estão alinhados. A cada linha datilografada um pouco do seu fôlego se esvai. Frustrado e esgotado ele vê sua vida e talento escoarem por páginas que ele não se identifica. Um amor não correspondido é apenas a areia que foi tacada em seu caixão. Mas um milagre pode mudar tudo. Um misterioso homem veio lhe fazer uma proposta irrecusável: financiar a escrita de um livro tão especial que será capaz de mudar o mundo. Para isso basta ele entregar sua alma, ou melhor, vende-la. Ele terá que negociar com o diabo para poder entrar em um jogo governado por anjos. Seu livro será escrito com o sangue dos mártires que cruzarão seu caminho. E não haverá amor, nem dor, que o impedirá de concluir sua obra.

“A poesia se escreve com lágrimas, o romance, com sangue, e a história, com águas passadas.”


SENTENÇA

O jogo do anjo” não é um livro normal. É uma obra complexa, sombria e angustiante banhada em Fantasia com um ritmo de suspense alucinante. Ao longo de suas páginas a lenda Carlos Ruiz Zafón vai costurando camada sobre camada personagens marcantes e extremamente realistas. Em certos momentos da leitura você sente o autor sussurrar em seu ouvido como um anjo, ou seria como um demônio? A série de livros “O cemitério dos livros esquecidos” está, por vezes, alem da compreensão e definição devido sua qualidade. Não são livros apenas para se entreter, eles tem a capacidade de alimentar a alma, e por vezes, até envenena-la. A questão é: Você têm coragem de prova-los? Ou melhor, conseguirá resistir até quando?

Comentários