criatividade-acervo-do-leitorO que é criatividade?


Quando se entra no campo da arte, mais especificamente da literatura, muitos questionam o que é criatividade. Ou de onde vem as ideias absolutamente fantásticas que alguns autores têm. Ou como o fulano consegue ser tão criativo em suas obras, em seus enredos e em seus plots, enquanto o sicrano não consegue criar nada genial.

A verdade é que autores muito criativos o são porque se exercitam. “Mas como assim, Gleyzer? O que exercícios físicos têm a ver com criatividade?” Calma, vou explicar. A verdade é que tal qual um músculo precisa de exercícios para ser forte, assim também ocorre com a criatividade.

Quanto mais você a exercita, mais forte e recorrente ela se torna em sua vida. Quanto mais peso você fornecer para o músculo da sua criatividade, mais esse músculo vai se desenvolver. Até que chegará o ponto em que ideias geniais brotem em sua cabeça enquanto você toma café ou pega um buzão lotado para ir trabalhar.

Mas, ainda usando a analogia do músculo, é preciso cuidado. Se você nunca foi a uma academia em sua vida, não pode chegar e querer levantar 150kg de uma só vez. Calma, padawan. Vá devagar. Comece levantando um pouquinho. Não precisa ter pressa. De pouquinho em pouquinho você alcança o montão. O exemplo vale também para a criatividade.

Veja só: muitos autores iniciantes, principalmente de fantasia (meu caso, rsrs), nunca escreveram nada, nem mesmo a redação do ENEM, e já querem se lançar por aí com uma trilogia, tetralogia, ou não tão raro, uma saga de 10 livros.

Na cabeça desse aspirante a autor, está tudo perfeito. Cada peça da história está em seu devido lugar e ele tem certeza de que essa sua saga de 10 livros será a melhor de todas. Que ninguém, nunca, em nenhum lugar, conseguiu criar algo tão genial quanto essa saga que cada vez mais ganha vida em sua cabeça. Mas ele está… errado!

Seria ótimo se na prática funcionasse assim.

Um conselho, que talvez você já tenha escutado por aí, e não deu muito valor, mas vou dá-lo mesmo assim: comece pequeno. Pense curto agora, faça longo amanhã. O que quero dizer com isso? Comece com histórias mais curtas: contos, novelas, romances stand alone. Crie histórias fechadas, únicas. Histórias com início, meio e fim. Não comece com trilogias, nem heptalogias, nem com sagas de 10 livros.

Lembra o que eu falei sobre ir pela primeira vez na academia e já querer levantar 150kg? Então, no campo da fantasia (cito especificamente a fantasia, pois é o subgênero onde mais se vê trilogias, sagas etc.) é a mesma coisa. Você não chega na academia e levanta 150kg de uma vez se você nunca levantou peso na sua vida. Para poder levantar 150kg você vai precisar praticar exercícios, muitos exercícios, justamente para desenvolver seus músculos.

“Ah, Gleyzer, mas eu não tenho paciência para treinar. Eu quero escrever minha trilogia agora, hoje.” Tudo bem, em momento algum eu disse para não escrever. Pelo contrário: escreva. Escreva muito. Só não publique (rs). Se está com várias ideias na cabeça, coloque-as no papel, crie documentos no Word e deixe-os salvos, de preferência na nuvem. Mas quando for sentar para escrever algo que você pretenda publicar, dê preferência por histórias fechadas.

Contos e novelas são excelentes maneiras de você exercitar seu músculo da criatividade, de fortalecê-lo. Imagine que a cada conto que você escreve, equivale a um mês de academia. Depois de um mês treinando todo dia, você já estará melhor; talvez um pouco melhor, talvez muito melhor, dependendo da sua dedicação. Mas estará melhor. Então vem outro conto. Outro mês. Um romance stand alone = 3 meses de academia… Cara, depois de um ano você estará muito bom!

Depois de um ano treinando todo dia, você com certeza estará muito melhor do que estava um ano atrás. Você estará mais forte, com músculos mais definidos, com um cardio melhor, com mais energia, e pronto para levantar mais peso. Pronto para dar saltos maiores em sua carreira de escritor.

Lembra daquelas anotações da sua trilogia (ou saga) que você tinha e que estavam salvas na nuvem? Agora é a hora de dar vida a elas! Agora seus músculos criativos já estão exercitados e você, provavelmente, já encontrou sua voz de autor (se não a encontrou ainda, você saberá quando encontrá-la) e está na hora de dar o próximo passo, de galgar o próximo degrau.

Neste momento, se tiver treinado direitinho durante todo o ano, você terá plena capacidade de criar, literalmente, o que você quiser. Uma vez que seus músculos já foram treinados, se você continuar exercitando-os, eles não irão atrofiar, então você poderá criar aquilo que quiser. De verdade. Trilogias, sagas, anything you want.

Histórias muito longas vão surgir em sua cabeça com muito mais facilidade. E você verá que não precisa imaginar cada mínimo detalhe, e sim as partes. Muitas coisas mudam quando você as coloca no papel, e se tiver se exercitado direito durante o ano anterior, você já saberá disso. Você já saberá como utilizar os equipamentos da academia corretamente e os movimentos virão de forma natural.

Eu gostaria muito, de verdade, de ter recebido esse conselho quando era iniciante. Eu teria praticado minha escrita de outras formas, criado contos, novelas e histórias fechadas. Não teria me aventurado em uma saga de 4 livros como o fiz ao iniciar As Crônicas da Aurora.

Não me arrependo de ter começado, de forma nenhuma. Um é melhor do que zero. Mas se pudesse voltar atrás eu teria começado de outra maneira, da maneira que, agora, te aconselho a começar. Se assim eu o tivesse feito, meu músculo da criatividade agora, 4 anos depois de ter iniciado a minha trajetória como escritor, seria muito mais robusto e elástico do que ele é. Repito: não me arrependo, mas se tivesse a chance, faria as coisas diferentes.

Mas, seja lá qual for a forma como você inicie sua jornada como autor, lembre-se: um é melhor do que zero. Então comece. Dê o primeiro passo. A caminhada não será perfeita. Ela nunca é. Mas é melhor caminhar do que ficar parado. E um é melhor do que zero…

Eu gravei um podcast ao lado do Diego Guerra (Teatro da Ira e O Gigante da Guerra) e do Mozer Dias (blog Leituraverso) falando sobre criatividade e lá demos boas dicas de como você pode exercitar esse músculo. Aconselho que você escute esse podcast, pois servirá como um ótimo material complementar a este conteúdo. Clique aqui para acessar o podcast no Spotify.

Um abraço!


“A escrita não é para fazer dinheiro, ficar famoso, transar ou fazer amigos. No fim das contas, a escrita é para enriquecer a vida daqueles que leem seu trabalho, e também para enriquecer sua vida. A escrita serve para despertar, melhorar e superar. […] Escrever é mágico, é a água da vida, como qualquer outra arte criativa. Água é de graça. Então beba.
Beba até ficar saciado.”

Stephen King

Comentários