RESENHA #06 – ELRIC DE MELNIBONÉ – A TRAIÇÃO AO IMPERADOR Vol 1 – MICHAEL MOORCOCK

Elric de Melniboné – A Traição ao Imperador – Livro 1
Autor: Michael Moorcock
Ano de Lançamento (BR): 2014
Nº de Páginas: 182
Editora: Generale/Évora
Nota no Skoob: 3.9 de 5

SINOPSE

A história de ‘Elric de Melniboné’, o imperador albino e feiticeiro, é uma das grandes criações de fantasia moderna. Um fraco e introspectivo escravo de sua espada, Stormbringer, ele é também um herói cujas aventuras e andanças sangrentas levam-no, inevitavelmente, a intervir na guerra entre as forças da lei e do caos. Um clássico do gênero espada e feitiçaria, Elric de Melniboné é um ícone excepcional da fantasia de violência, poder, política e guerra.

Neste livro, Elric enfrentará a ameaça ao império de Melniboné e transitará entre o uso da magia e seus princípios morais, que o impedem de tomar algumas decisões. Além disso, sua amada Cymoril encontra-se em perigo, e ele não medirá esforços para salvá-la.
Pela primeira vez, a editora Generale traz para os leitores brasileiros a tradução dos textos originais da Saga de Elric de Melniboné, sendo este o primeiro livro.


****

RESENHA

Obs. Este livro foi cedido através de parceria pela Editora, agradecemos pela confiança.

“Melniboné nunca se definiu pelo bem ou pelo mal, mas por si mesma e pela satisfação de seus desejos”

Melniboné é um País que nos últimos 10 milênios reinou absoluto sobre o controle do mundo, seus exércitos eram temidos, seus negócios bem-sucedidos e não havia quem os questionasse ou até mesmo quem ousassem confrontá-los. Seu povo, os Melniboneanos, sempre foram gananciosos, egoístas e cruéis, tendo por si a certeza de sua superioridade para com os demais. Eles não vivem sob dilemas morais ou conceitos entre o bem e o mal, não há compaixão ou misericórdia entre sua raça, eles são altivos em busca de seus objetivos, arrogantes para com todos os outros. Eles fazem o que precisam ser feitos e não olham para os efeitos de suas ações.

E todas estas características sempre estiveram presentes intrinsecamente em seus governantes, os Imperadores eram o reflexo do seu povo e sua cultura. Eram adorados e reverenciados por sua força e poder de aniquilação. Não há moralidade em seus atos.
“E agora não há como voltar atrás. O destino de Elric foi forjado, tão certo como as espadas infernais foram forjadas eras antes”
Entretanto, nos últimos 500 anos as coisas mudaram em Melniboné. Eles viram sua glória para o mundo extinguirem, e agora vivem ameaçados por outros reinos, ao qual denominaram Reinos Jovens. Piratas de outros países já realizaram ataques malsucedidos a Imrryr, conhecida como a Cidade dos Sonhos, capital da Ilha do Dragão de Melniboné. Mas não se engane, os Melniboneanos são fiéis à sua cultura de superioridade, e agora buscam um Imperador que os levem de volta à ascensão.

Neste cenário somos apresentados a Elric, o 428º Imperador de Melniboné, que herdou de seu pai, falecido há um ano, o Trono de Rubi. Elric é diferente de seus compatriotas, além de seus peculiares traços físicos, cabelos brancos e olhos vermelhos, e de sua enfermidade que o mantém refém de drogas para suprir as energias e força física das quais necessita. Elric também possui uma filosofia incomum comparado aos demais. E ao longo do livro o Imperador albino vive em conflito entre o dever moral e o dever cultural.

“Arioch! Eu o invoco!”
Elric é apaixonado por sua prima Cymoril, e é alvo de intrigas de seu primo, o príncipe Yyrkoon, que planeja usurpar o Trono de Elric e tomar para si o controle do Império. Para ser bem-sucedido o príncipe buscará aliados perversos e poderes do Caos.

Michael Moorcock possui uma escrita simples e muito fluída, muitas das vezes você não notará o tempo passar e ficará preso na fantástica Mitologia criada pelo Autor. Um ponto negativo da obra é o tamanho do livro, são apenas 182 páginas, que ao meu ver poderia ser tranquilamente estendido. Em alguns momentos os eventos ocorrem de maneira muito rápida e acaba faltando um pouco de profundidade. Os personagens são bem trabalhados, com destaque obvio para o protagonista, Elric é um personagem com uma ambiguidade muito bem construída, em dado momento ele é capaz de autorizar atrocidades para em outro optar pela misericórdia. E com relação à famosa espada Stormbringer? Bem, ela está lá em algum momento. E na minha opinião é o ápice do livro!

Em suma é um livro com uma história muito boa, ao melhor estilo RPG, mas não se engane, aqui não temos uma Fantasia tradicional, Elric de Melniboné têm um grande viés de Dark Fantasy, e este sem dúvidas é o grande trunfo da obra. Recomendo à todos os leitores, tanto aos mais adeptos a Fantasia, quanto àqueles que pretendem iniciar no gênero.

A edição do livro está lindíssima, com capa dura e singelos detalhes entre os capítulos. A tradução está excelente. Um ótimo trabalho da editora!

Comentários