FICHA TÉCNICA

SANTUÁRIO DOS VENTOSSANTUÁRIO DOS VENTOS
Autor: George R. R. Martin e Lisa Tuttle
Ano de Lançamento: 2018
Nº de páginas: 416
Editora: LeYa
Compre na Amazon: clique aqui


SINOPSE

George R.R. Martin, autor de “As Crônicas de Gelo e Fogo” e “Wild Cards”, e Lisa Tuttle reuniram seus talentos para presentear o leitor com Santuário dos Ventos, uma obra ambiciosa e emocionante, que, combinando ficção científica e fantasia, chega às livrarias pela LeYa. O romance, ambientado num planeta distante, conta a história de Maris e seu sonho de se tornar um dos voadores, grupo de habitantes mais prestigiado do Santuário dos Ventos. Para isso, recorrerá a tudo que estiver a seu alcance para conquistar as preciosas asas – abalando a sociedade em que vive e gerando uma série de novas questões morais entre os voadores e os “confinados à terra”. Afinal: quem merece ganhar os céus? E até que ponto a benção se torna também uma maldição?

RESENHA – SANTUÁRIO DOS VENTOS

Há uma mudança a caminho. Uma transformação chegando como o vento, hora uma simples brisa, hora um furacão. Em uma sociedade engessada pelos costumes herdados pelos que navegavam as estrelas uma mulher ousou se levantar. Primeiro ergueu sua cabeça, depois começou a caminhar, passou a correr… até finalmente voar! No “Santuário dos Ventos” ela se tornou uma lenda, e essa é sua história.

SANTUÁRIO DOS VENTOS

“O fato de uma coisa sempre ter sido feita de um jeito não quer dizer que a mudança não seja possível, ou desejável.”

O “Santuário dos Ventos” é um grande arquipélago de ilhas independentes que se comunicam através de uma classe especial de mensageiros: os Voadores. Uma casta de cidadãos que possuem a habilidade, passada de pai para filhos, de singrar os ares usando asas metálicas feitas de um metal adquirido por seus antepassados. Há muito tempo atrás grandes navegações estelares acabaram “naufragando” neste planeta. Houve uma guerra por poder e liberdade. De suas poderosas velas metálicas foram extraídos o material para a construção das asas destes Voadores. Um material escasso e com número limitado. Dos viajantes interplanetários originais, que obtiveram a posse deste material, se originaram toda a classe de Voadores. Eles prometeram cruzar os ares conectando as ilhas, governadas por “Senhores da Terra”, de forma pacífica sem nunca pegar em armas. Privilegiados e arrogantes por saberem que a sobrevivência da sociedade depende de suas habilidades se consideravam intocáveis, assim como seus costumes. Mas uma órfã vai provar o contrário e seu nome é Maris.

SANTUÁRIO DOS VENTOS

“Ela tinha sim, um lar, e era ali, no céu, com o vento forte e frio, atrás dela e com suas asas nas costas.”

Maris sempre sonhou com o céu. A liberdade de conhecer qualquer lugar podendo voar sentindo o vento no rosto, a água em seus cabelos e o sol em seus olhos. Mas ela não é filha de um Voador, e seu destino é ser confinada a terra. Porem ela teve o privilégio de ser adotada por Russ, um Voador que lhe ensinou esta centenária arte e a deixou usar suas asas até que seu filho Coll chegasse a maioridade. Mas Coll não tem interesse no céu, ele quer apenas cantar, apesar de uma forte tradição obriga-lo a isso. Alguns afirmam que costumes são criados para serem quebrados, mas para isso é necessário uma pessoa tão apaixonada pelo que acredita que é capaz de morrer por sua causa. Maris e suas asas são inseparáveis e não há conselho ou tradição capaz de remove-las. Para ela a capacidade de voar deveria ser avaliada pela habilidade, não pelo sangue. Ela vai se opor a todo o sistema até coloca-lo de joelhos. Uma mulher contra a sociedade. Um sonho contra o destino. Talvez ela consiga, mas as consequências desta conquista podem fazê-la desejar o contrário.
SANTUÁRIO DOS VENTOS

“Talvez o mundo esteja pronto para outra mudança (…) Mas é desse jeito que devemos muda-lo?”


SENTENÇA

Esse livro único foi escrito em 1981 por George R.R. Martin, criador das “Crônicas de Gelo e Fogo” e Lisa Tuttle. Apesar de ser uma obra feita por dois escritores, em nenhum momento você identifica duas “vozes” tamanha harmonia e coerência entre eles. Uma linda história sobre a importância de se terem sonhos e lutar pelo que se acredita. A carismática protagonista Maris, uma mulher a frente de seu tempo, personifica toda a paixão, dedicação e desejo daqueles que ao longo da nossa história ousaram se opor a todo um sistema vigente. Mas essa história não é um drama, e sim uma excelente Fantasia como todo o toque de maestria que se espera de George Martin. Em poucas páginas ele (Martin) consegue uma excelente construção de mundo (Worldbuilding), personagens cativantes, incríveis reviravoltas na trama e uma história que te prende do começo ao fim através da sua elegante escrita. Só lamento que essa obra tenha demorado tanto para ser publicada no Brasil, talvez ela tenha se perdido voando pelo tempo, mas enfim ela chegou e você precisa conhece-la.

Comentários